PASSOS MAIA E SEUS ASSENTAMENTOS DA REFORMA AGRÁRIA

0
10

O que teria a ver isso com a Sicoob Valcredi Sul? Aparentemente nada. Sabendo-se, entretanto, que esses assentamentos estão em Passos Maia desde antes da Cooperativa existir, iniciaram em 20 de novembro de 1996. E, até a cooperativa existir, esses Assentamentos, 18 ao todo, não tinham nada, viviam às custas de recursos repassados pelo INCRA – Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, e, de donativos vindos da Prefeitura Municipal, do Governo do Estado, de organizações sociais e da própria população local, à época, menor que a população dos próprios assentamentos.
Nasce a Valcredi, hoje Sicoob Valcredi Sul. A data era 22 de março de 1997; nossa cooperativa de crédito foi formada por agricultores familiares de Passos Maia, Vargeão e Ponte Serrada, representados por trinta agricultores familiares, e, inicia sua atividade em Passos Maia, em meio a uma população de 1800 habitantes tradicionais, agricultores e operários de serrarias, e um sem número de famílias de assentados, mais de 1.000, vindas de trinta e sete municípios do meio Oeste e Oeste Catarinense, do Sudoeste do Paraná e norte do Rio Grande do Sul. Esse era o panorama. Vendo nos Assentamentos da Reforma Agrária uma dificuldade, mas, ao mesmo tempo uma oportunidade, a Valcredi procurou o INCRA, a Prefeitura Municipal e a Cooperativa dos Pequenos Produtores do Vale do Rio Chapecozinho para organizarem-se em parcerias capazes de tirar essa população dessa situação de miséria e de necessidades e até, porque não o dizer, de fome.
Como fazer isso? A proposta da Cooperativa de Crédito, aceita pelos demais parceiros foi a de se construir uma bacia leiteira, envolvendo essa população improdutiva. “Se temos três mil pessoas nos Assentamentos, temos mil que podem prestar serviço; essa mão de obra está desperdiçada. Temos que encontrar uma forma de utilizá-la”. Afirmava o Presidente da Valcredi.
A parceria foi se consolidando: O Incra, financiava parte dos recursos com dinheiro federal; a Prefeitura contribuía com o preparo do solo e distribuía calcário; a Coplavale participava com assistência técnica/veterinária, recolhia o leite e o levava até à indústria; a Valcredi, liderava e coordenava o processo, financiando os investimentos e outros valores necessários, coordenava reuniões técnicas e elaborava e concebia as estratégias.
Hoje temos assentados que iniciaram com duas vacas e estão produzindo até mil litros de leite dia. Passos Maia tornou-se um grande produtor de leite; pelas estradas do interior passam no mínimo cinco caminhões dia recolhendo esse precioso produto.
Esse programa se estendia também aos poucos produtores tradicionais, ainda residentes no interior do município, com linhas de crédito específicas.
Assim a Valcredi, juntamente com os Assentamentos da Reforma Agrária, com seus pequenos agricultores familiares, com seu pequeno comércio, com sua pequena indústria madeireira cresceu; cresceu juntamente com seus parceiros. Instalou Agência no Vargeão, em Ponte Serrada, em Catanduvas, Vargem Bonita e Irani. Apertada entre as divisas das cooperativas coirmãs, entendeu-se para o Paraná, com duas agências em Palmas, estabelecendo acordo de respeito recíproco de área com o Sicoob Paraná; necessitando se expandir mais para ter mais negócios, tornando seu produtos mais baratos aos associados pela venda em escala, estabeleceu-se no Rio Grande do Sul, com duas agências em Santa Cruz do Sul, uma em Venâncio Aires e outra em Esteio; prevê para o próximo ano a abertura de mais três agências no eixo da BR. 287, de Candelária à Grande Porto Alegre.
Passos Maia, 08 de novembro de 2019.
Fonte: Antonio Abilio Mantovani

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here