Novamente Poder Público de Palmas é cobrado sobre a situação dos moradores de rua

0
15

No dia 14 de janeiro, terça-feira, recebemos uma denúncia preocupante sobre a crítica situação dos moradores de rua que estão invadindo o antigo “estabelecimento” da Sanepar localizada na avenida Sete de Setembro. A fonte revela que o problema já havia sido comunicado aos orgãos competentes de Palmas, mas nenhuma atitude foi devidamente realizada.

Por este motivo o denunciante nos procurou revelando que entrou em contato com o poder público para relatar sobre o abuso dos moradores de rua em invadir patrimônio privado e contribuírem para problemas que envolvem a todos. O denunciante afirma que nada melhor que a nossa voz chegue até o Ministério Público através das páginas do Jornal Destaque Regional para relatar a situação”.

A denúncia dizia o seguinte: “Tem um terreno da Sanepar localizada na Avenida Sete de Setembro que foi invadida por moradores de rua, ali eles passam diariamente bebendo e perturbando não somente os condutores que fazem aquela rápida ‘’paradinha’’ em frente ao semáforo como as pessoas que ficam esperando o ônibus no ponto que se localiza nas proximidades”.
O denunciante relatou, também, ter se comunicado com o diretor regional da Sanepar em Pato Branco sobre o assunto e o mesmo informou que o diretor teria enviado um oficio solicitando a ação dos orgãos responsáveis para adotarem as providências necessárias, pois a Sanepar teria colocado cadeados e trancas no local em questão, do mesmo modo os indivíduos ali presentes quebraram o cadeado e invadiram a área privada.

Se a Sanepar teria feito sua parte devido as suas responsabilidades, por qual motivo o munícipio não fez nada sobre o assunto?
Os habitantes de Palmas estão preocupados e se questionando quem será o responsável por pagar a conta de água se não nós mesmos quando os moradores de rua deixam o hidrante que é usado pelo corpo de bombeiro vazando.
Nos fazer usar o dinheiro que conseguimos com dor e suor para pagar as conseqüências de um problema que não é nossa culpa é ridículo e injusto, por isso pedimos para que algo seja feito em relação ao assunto.
Se eles acreditarem que tem o direito de ficar invadindo áreas privadas e ficarem fazendo confusões nos estabelecimentos públicos, além de desperdiçarem a água que nós pagamos, irão acreditar que não tem problema continuar fazendo isso e subentende-se que não há lei no município de Palmas, pois defende a ideia de que qualquer pessoa pode fazer o mesmo, principalmente quem tem o devido direito por pagar os impostos e ter legitimidade.

Fonte: Jornal Destaque Regional
Jocemar Ferreira da Silva

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here