HIPERTENSÃO: A DOENÇA QUE MATA SILENCIOSAMENTE

0
15

Acad. Hendreo Schwartz

5º período do Curso de Ed. Física – IFPR – Campus Palmas

Ao redor do mundo, praticamente todos já ouviram falar da Hipertensão, ou como conhecemos popularmente: a Pressão Alta. Porém, nem todos sabem o que é, e quão prejudicial e perigosa essa doença é para os seres humanos. Conforme o Ministério da Saúde (2018), por dia, quase 1.000 pessoas morrem em decorrência da Pressão Elevada. Em média, 300 mil por ano acabam falecendo. Muitas vezes, os hipertensos não possuem sintoma nenhum e por isso, este sério problema de saúde acaba passando despercebido e agravando-se. Quando vamos a uma farmácia ou hospital, para aferirmos a pressão arterial, que é a força em que o sangue exerce nas paredes internas das artérias, geralmente são usados um esfigmomanômetro ou um estetoscópio, que são os aparelhos mais adequados para sabermos o nível da mesma, que será considerado normal quando está em 120 por 80 mmHg (ou 12 por 8) que são a representação da Pressão Arterial Sistólica e Diastólica, respectivamente. Esses termos se referem ao momento em que o coração contrai, para transportar o sangue para o resto do corpo (sístole) e quando relaxa, para permitir a entrada do sangue novamente no coração (diástole). A Hipertensão arterial acontece quando a pressão dos vasos atinge um valor igual ou superior a 140 por 90 mmHg (14 por 9).

A Hipertensão é classificada em primária e secundária. A Hipertensão secundária é quando existe uma condição médica pré-existente provocando o aumento da pressão. Porém, a que mais atinge a população é a Hipertensão primária, pois ela age de forma silenciosa, ou seja, não apresenta nenhum sintoma. Com isso, as pessoas acabam sem tratamento podem chegar a ser acometida por situações gravíssimas como: acidente vascular cerebral (AVC), enfarte e aneurisma cerebral. Simplesmente pelo fato de não apresentar nenhum sintoma recorrente a Hipertensão, torna-se um problema sério e preocupante.

Pessoas que têm históricos familiares desta doença, obesidade, estresse elevado, por exemplo, devem estar mais atentos, pois a chance de a possuírem aumenta consideravelmente. Por isso, não devemos procurar um diagnóstico somente quando sentimos alguma queixa relacionado ao aumento da pressão, pois provavelmente já podem apresentar uma crise hipertensiva, sendo já um caso preocupante, que necessita de um tratamento médico.

O tratamento da Hipertensão é feito através de medicamentos anti-hipertensivos por indicação médica, juntamente com a mudança de hábitos. E prevenir envolve diminuir o sal nos alimentos, ter uma alimentação saudável, não fumar, praticar exercícios diariamente, controlar o peso, maneirar no consumo de bebidas alcóolicas, entre outros.

A Hipertensão está presente na nossa sociedade; atinge homens e mulheres, atinge principalmente pessoas com idade elevada, mas também, infelizmente já aparece em adolescentes. Para evitar sequelas e suas consequências e tomar medicação o resto da vida, pode ser uma forma de alertar para prevenir seu surgimento como a melhor ação. O mais sensato, neste caso, seria buscar seguir um estilo de vida saudável.

REFERÊNCIAS:

CAMPOS, Renata. O que é hipertensão. Md. Saúde. 12 mai. 2018. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=NrPddz5qDEs Acesso em: 17 ago. 2019.

TINÉ, Luiza. Hábitos saudáveis ajudam a prevenir a hipertensão. Blog da Saúde. 26 abr. 2019. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53862-um-a-cada-quatro-adultos-tem-hipertensao Acesso em: 17 ago. 2019.

Texto produzido na disciplina de Fisiologia do Exercício, sob orientação de Prof. Me. Aluísio Menin Mendes

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here