Combatendo os efeitos da degradação

0
24

Além dos efeitos nocivos à saúde, a poluição ameaça sem trégua a beleza da pele. Falta de brilho, desidratação, poros entupidos e pontos pretos são consequências mais leves, enquanto um elevado nível de poluentes torna o maior órgão do corpo humano vulnerável à ação de bactérias e infecções.
O excesso de poluentes põe abaixo as reservas de vitamina E existente na pele, diminui sua lubrificação natural, aumenta a produção de sebo e modifica a sua própria composição além de provocar manchas escuras e agravar as condições da pele.
A limpeza diária da pele é essencial, não apenas para remover maquiagem e oleosidade, como também eliminar poeiras tóxicas e as micropartículas de poluição que podem facilmente ser absorvidas, levando a um estresse oxidativo e até mesmo a mutação celular.
Exposição a estas substâncias poluentes externas produz um depósito de gases nocivos na superfície cutânea, que induzem a formação de radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento.
Para combater o efeito indesejado utiliza-se fórmulas antipoluição, as quais devem incorporar níveis adequados de antioxidantes, promovendo uma ação de limpeza suave, equilibrando os níveis naturais de óleo e reforçando a função de barreira da pele.
É muito importante manter uma disciplina cosmetológica desde a limpeza até o uso da água termal, séruns para dia e noite e cremes complementares, respeitando a fisiologia da pele. Pois, não será eficaz toda esta rotina, se ao lavar o rosto utilize um sabonete incorreto que desequilibre o pH.

Fonte: Negócio Estética

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here